O que artistas independentes tem produzido na quarentena?

Conheça o trabalho de jovens que estão utilizando o isolamento de forma positiva

por @caruudinha



Hey, você aí já se perguntou o que os seus artistas prediletos estão aprontando em meio a essa pandemia? Seja ele músico, do mundo audiovisual, grafiteiro, todos eles estão sujeitos a ter bloqueios criativos, pois ficar em casa por muito tempo talvez passe uma idéia de que não é possível construir algo novo. Conversamos com três artistas para saber de que forma estão criando e fazendo de tudo para manter a arte presente.


‘’Não quero romantizar a idéia que é preciso estar sendo produtiva nesse período, mas sei que viver o real acaba sendo pesado, ficar só vendo tv e rede social, deixa a gente com mais ansiedade podendo levar até a depressão





@mandinga.joias

Amanda Dias, 31 anos, moradora da Vila Gustavo, bairro da zona norte de SP, há 4 anos é dona da Mandinga Biojoias, marca de adornos com elementos naturais que resgata a cultura africana através da estética. Além de designer de jóias, ela costuma dizer que é uma artista em desenvolvimento e navega por várias outras manifestações artísticas. Perguntamos a ela como tem sido o processo criativo em meio a esse caos.


Amanda: ‘’Estamos há mais de um mês na quarentena, nesses dias tenho me mantido ativa dentro do possível. Quando decidi viver da arte não tinha muitos recursos, voltei a morar na casa dos fundos da minha mãe e naturalmente acabei fazendo um isolamento social, até mesmo por falta de grana e todos os dias me desenvolvia dentro da minha casa, criando auto retratos e adornos. Período que hoje vejo como uma imersão artística, me fez crescer e me identificar como a artista que sou hoje. Obviamente que o cenário é outro, a ansiedade de não saber quando vamos sair dessa, a preocupação financeira e o medo dessa doença atingir a mim ou alguém que eu conheço deixa muito pesado, mas é nessa hora que penso em tudo e vejo que d‘’Nós artistas, temos que utilizar desse poder com sabedoria no momento, informando e entretendo a galera nesse tempo caótico‘’evo continuar criando a minha arte. Não quero romantizar a idéia que é preciso estar sendo produtiva nesse período, mas sei que viver o real acaba sendo pesado, ficar só vendo tv e rede social, deixa a gente com mais ansiedade podendo levar até a depressão’’ diz. Amanda, espera seguir criando nesse tempo louco e quando isso tudo acabar deseja que cada um esteja mais consciente de si e da vida. Cê liga no que ela tem produzido!!!



Todas as peças estão disponíveis na página do Instagram @mandinga.biojoias



‘’Nós artistas, temos que utilizar desse poder com sabedoria no momento, informando e entretendo a galera nesse tempo caótico‘’





Lyncon Eleutério dos Santos, mais conhecido como ‘’Griô’’, tem 21 anos e é morador da Brasilândia, zona norte de SP. Artista independente, atualmente trabalha com animação 2D e artes plásticas baseado em referências negras, como o Hip Hop e filmes Blaxploitation, ele propõe uma imersão ao seu universo a partir de traços e texturas. Ele conta pra gente como está sendo esse tempo de produzir em casa.


Griô: ‘’ Da rua para as telas, dos becos ao cinema, o meu trabalho tem migrado entre as plataformas sem perder o sentimento protestante das ruas. Atualmente, tenho trabalhado em casa produzindo animações para UZMK comunicação ( que produz conteúdo para clientes na área da saúde).‘’Tem sido um tempo difícil, contido e introspectivo. Mas entendo também que devemos se utilizar do que nós temos, e nesse momento são as ferramentas de comunicação, as redes sociais, blogs e sites. A globalização é a porta pela qual a nós de periferia devemos entrar e conquistar nosso espaço. Sei que é um momento complicado e todos assim como eu, estão assustados, mas também é uma oportunidade de alcançar outras pessoas e mostrar o que tem sido feito por aqui. Ter a sensibilidade para produzir algo que as pessoas gostam e queiram compartilhar é uma responsa grande! Então, nós artistas, temos que utilizar desse poder com sabedoria no momento informando e entretendo a galera nesse tempo caótico’’, diz. Veja o resultado de algum dos seus trabalhos, nessa quarentena




Acompanhe o trabalho do Griô! Instagram: @grio.sp


‘’eu sinto que tenho tido tempo para me aprimorar, estudar mais a música e o que eu quero ser, tá sendo bem natural, não me forçando a nada sabe?








Marvin Procopio 22 anos de idade, é designer, artista e está iniciando uma carreira de Dj com suas remixagens exclusivas. Nós sabemos que a situação já está complicada, o que mais se tem visto nesse momento são artistas participando de Lives pelo instagram ou algum canal do Youtube, em tempo real, estão ali de alguma forma tentando entreter o povo. Marvin conta pra gente sobre como esse processo tem sido em seus trampos e vivências.


Marvin: ‘’ O período de pandemia não está sendo inspirador, sabe? eu me inspiro muito mais quando eu to vivendo na rua ou dando rolê, me apaixonando, eu fico bem mais inspirado nisso até pra escrever e desenhar. Uma coisa que eu não faço, é me cobrar de precisar produzir, produzir, não levo isso como uma ‘’competição’’ também, porque a arte ela nunca vai ser uma. Às vezes as pessoas postam tanto conteúdo, e a gente vê aquela sobrecarga, então estou levando isso de um jeito mais leve comigo’’ diz. E o que você tem produzido mais? Marvin: ‘’No momento, estou trabalhando bastante com arte e ilustração digital, tem sido meu foco agora, e também produzindo alguns sets, inclusive antes dessa pandemia começar, eu estava tocando em algumas festas, eu sinto que tenho tido tempo para me aprimorar, estudar mais a música e o que eu quero ser, tá sendo bem natural, não me forçando a nada sabe? As ilustrações também estão bem tranquilas, ajudo alguns amigos a construírem a capa do set deles, ou algumas faço por fazer, com alguma foto minha e tá sendo muito importante pra mim’’ Acompanhe agora um pouco do que ele produziu na quarentena, dá um play nos sets!





Siga no Instagram @babyboydazl


Reporter Colabadore : Debora Carudinha

0 visualização